Início do conteúdo

09/05/2006

Especialista da Opas comenta os desafios da gripe aviária para a América Latina


Especialista da Opas comenta os desafios da gripe aviária para a América Latina


Representantes de cinco países da América Latina participaram no Instituto Oswaldo Cruz (IOC), uma unidade da Fiocruz, de um treinamento em técnicas moleculares de detecção do vírus influenza e seus novos subtipos, incluindo o H5N1, agente etiológico causador da gripe aviária. Atendendo a uma solicitação da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), o International Workshop in Molecular Diagnosis of Influenza foi oferecido de 2 a 6 de maio pelo Laboratório de Vírus Respiratório e Sarampo do IOC, que participa da rede de vigilância montada pelo Ministério da Saúde para prevenir a entrada do vírus no país e é responsável pelo diagnóstico em amostras humanas. Na entrevista a seguir, o assessor regional em Enfermidades Virais da Opas, Otavio Oliva, reafirma a importância do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo IOC para identificar rapidamente os focos da doença e ressalta a necessidade da preparação de um plano de ação em países que, como o Brasil, ainda não receberam o vírus.

Leia mais na Agência Fiocruz de Notícias.

Voltar ao topoVoltar