Início do conteúdo

19/05/2017

Especialistas alertam para a importância da vacinação contra a gripe



Por: Vinícius Ferreira (IOC/Fiocruz)

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (18/5), que a campanha de vacinação contra a gripe imunizou apenas a metade do público-alvo estimado, a uma semana de terminar, em 26/05. De um total de 54,2 milhões de pessoas esperadas, somente 28,7 milhões foram vacinadas, o que representa 53% da população prioritária. Os estados com os piores índices são Roraima, com 34% de adesão, seguido por Pará (35%) e Rondônia (39%). No Rio de Janeiro, por exemplo, não foi alcançado nem 50% do público estimado. A região Sul apresenta o melhor desempenho, com 68,3% de alcance.

Uma das maiores especialistas em vírus respiratórios do país, a virologista Marilda Siqueira, chefe do Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), chama a atenção para a importância da vacinação. “A vacinação contra a gripe tem o objetivo de proteger toda a população contra as formas graves da infecção provocadas pelo vírus Influenza. Este patógeno é facilmente transmitido por meio de secreções das vias respiratórias (ao falar, tossir ou espirrar) e por meio do contato de objetos contaminados com a boca, olhos, nariz”, explica a especialista. O Laboratório integra o Sistema Global de Vigilância e Resposta à Influenza da Organização Mundial da Saúde (OMS) e atua como referência nacional junto ao Ministério da Saúde.

Com cerca de um mês para a chegada do inverno, em 21 de junho, a necessidade de adesão à vacinação é redobrada. A estação mais fria do ano favorece a circulação do Influenza, que pode causar inúmeras vítimas. Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 54 mil pessoas foram hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2016, sendo 12 mil por influenza. No mesmo período, foram notificados 2.220 óbitos por influenza, sendo São Paulo o estado com o maior número de vítimas (851).

“Os mitos e boatos sobre a imunização contra a gripe dificultam, e muito, o alcance da cobertura vacinal desejada. Muitas pessoas acreditam, por exemplo, que a vacina faz com a pessoa fique gripada. Isso não é verdade. Pelo contrário, ela previne infecções e pode salvar muitas vidas”, esclarece o virologista Fernando Motta, que também atua no Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do IOC.

O MS informa que desde o dia 17 de abril a vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.

Mais em outros sítios da Fiocruz

Voltar ao topoVoltar