Início do conteúdo

26/10/2016

Diretor da Fiocruz Bahia recebe prêmio da Unesco

O pesquisador e diretor da Fiocruz Bahia, Manoel Barral-Netto recebeu, no dia 10 de outubro, em cerimônia realizada em Paris, na França, o Prêmio Internacional “Guiné Equatorial de Investigação em Ciências da Vida”, da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), pelos trabalhos sobre leishmaniose e malária. O prêmio foi de 2015, mas a cerimônia de entrega, que estava marcada para novembro do ano passado, foi cancelada duas vezes devido aos ataques terroristas que aconteceram na França e na Bélgica.

Em rede social, Barral-Netto agradeceu aos amigos pelas manifestações sobre a entrega do prêmio. “Feliz de ter amigos como vocês e com a esperança que o mundo seja mais pacifico e justo”, afirmou. O júri da premiação, composto por especialistas na área de diversas nações, destacou também a contribuição de Barral-Netto ao desenvolvimento de ferramentas de controle na área das doenças transmissíveis e relacionadas com a pobreza. O propósito da láurea é o reconhecimento de projetos e atividades de indivíduos, instituições ou de ONGs para pesquisas em ciências biológicas com vistas a melhorar a qualidade da vida humana.

Esse não foi o primeiro prêmio recebido pelo pesquisador. Entre os reconhecimentos está o título de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico; Prêmio OPAS-ALAI 2002 em Imunologia Experimental, da Organização Panamericana da Saúde e Associação Latinoamericana de Imunologia; e o Prêmio Pesquisador do Ano da Ufba, concedido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão (Fapex).

Voltar ao topoVoltar