Início do conteúdo

14/07/2017

Conselho Editorial da Editora Fiocruz tem nova composição


Gustavo Mendelsohn de Carvalho (CCS/Fiocruz)

A Editora Fiocruz teve seu Conselho Editorial renovado com a chegada de cinco novos conselheiros editoriais. Na primeira reunião do novo Conselho, em junho, o vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz e também novo diretor da Editora, Manoel Barral Netto, ressaltou a importância dos conselheiros, representantes de diferentes áreas da saúde pública, “dando uma composição variada ao Conselho”.

Os novos conselheiros são a bióloga Denise Valle, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz); o médico José Roberto Lapa e Silva, da Faculdade de Medicina da UFRJ; o médico Kenneth Rochel de Camargo Jr., do Instituto de Medicina Social da Uerj; o historiador Marcos Cueto, da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz); e o biofísico Rafael Linden, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ. 

Permanecem no Conselho a médica Ligia Maria Vieira da Silva, do Instituto de Saúde Coletiva da Ufba; a socióloga Maria Cecília de Souza Minayo, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz); a médica Marilia Santini de Oliveira, do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz); o médico Moisés Goldbaum, da Faculdade de Medicina da USP; e antropólogo Ricardo Ventura Santos, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz).

No encontro, o diretor Manoel Barral Netto anunciou que, em 2018, a Editora Fiocruz sediará a Reunião Anual da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu), enquanto o editor executivo, João Canossa, fez um balanço do trabalho desenvolvido pela Editora em 2016/2017. Apesar das restrições financeiras, registram-se avanços, como uma presença ainda maior da Editora Fiocruz no Portal SciELO Livros, com o depósito de mais 100 títulos em ambas as modalidades de acesso (aberto e comercial). Canossa citou ainda os bons resultados da Livraria Virtual, lançada há um ano, e as iniciativas para internacionalização da Editora e a participação em eventos, “muitos deles em estandes coletivos, de modo a otimizar recursos”.

Em seguida, os editores científicos fizeram suas apresentações. Gilberto Hochman falou sobre o processo para a publicação de um livro e suas complexidades. Referiu-se ao papel do Conselho Editorial na indução e prospecção de temas inovadores e novas tecnologias, assim como na acolhida de teses, “ajudando a diferenciar aquelas que podem efetivamente resultar em livros”. Carlos Machado de Freitas comentou o processo editorial da coleção “Fazer Saúde”, destacando o sucesso da chamada pública de propostas para livros, que recebeu 139 projetos, dos quais 20 foram selecionados.

O encerramento da reunião foi marcado por uma palestra do convidado José Castilho Marques Neto, que traçou um panorama das editoras universitárias e do mercado de publicações científicas no Brasil e no mundo. Castilho, que presidiu a Editora Unesp e entidades como a Abeu e a Asociación de Editoriales Universitarias de América Latina y el Caribe (Eulac), é atualmente consultor na área de livro, leitura e bibliotecas.

 

Imagem da capa: Davide Guglielmo / Freeimages

Voltar ao topoVoltar